Sexta-feira, 24 Setembro, 2021
Inicio Boletim Liturgia XIII Domingo do Tempo Comum

XIII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

A menor de todas as sementes torna-se a maior de todas as plantas da horta
(Mc 5,21-43)

Naquele tempo,
depois de Jesus ter atravessado de barco
para a outra margem do lago,
reuniu-se uma grande multidão à sua volta,
e Ele deteve-se à beira-mar.
Chegou então um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo.
Ao ver Jesus, caiu a seus pés
e suplicou-Lhe com insistência:
«A minha filha está a morrer.
Vem impor-lhe as mãos,
para que se salve e viva.»
Jesus foi com ele,
seguido por grande multidão,
que O apertava de todos os lados.

Ora, certa mulher
que sofria de uma perda de sangue havia doze anos,
que sofrera muito nas mãos de vários médicos
e gastara todos os seus bens,
sem ter obtido qualquer resultado,
antes piorava cada vez mais,
tendo ouvido falar de Jesus,
veio por entre a multidão
e tocou-Lhe por detrás no manto,
dizendo consigo:
«Se eu, ao menos, tocar nas suas vestes, ficarei curada.»
No mesmo instante estancou a perda de sangue,
e sentiu no seu corpo que estava curada da doença.
Jesus notou logo que saíra uma força de Si mesmo.
Voltou-Se para a multidão e perguntou:
«Quem tocou nas minhas vestes?»
Os discípulos responderam-Lhe:
«Vês a multidão que Te aperta
e perguntas: ‘Quem Me tocou?’»
Mas Jesus olhou em volta,
para ver quem Lhe tinha tocado.
A mulher, assustada e a tremer,
por saber o que lhe tinha acontecido,
veio prostrar-se diante de Jesus e disse-Lhe a verdade.
Jesus respondeu-lhe:
«Minha filha, a tua fé te salvou.
Vai em paz e fica curada do teu mal.»

Ainda Ele falava,
quando vieram dizer da casa do chefe da sinagoga:
«A tua filha morreu.
Porque estás ainda a importunar o Mestre?»
Mas Jesus, ouvindo estas palavras,
disse ao chefe da sinagoga:
«Não temas; basta que tenhas fé.»
E não deixou que ninguém O acompanhasse,
a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago.
Quando chegaram a casa do chefe da sinagoga,
Jesus encontrou grande alvoroço,
com gente que chorava e gritava.
Ao entrar, perguntou-lhes:
«Porquê todo este alarido e tantas lamentações?
A menina não morreu; está a dormir.»
Mas riram-se d’Ele.
Jesus, depois de os ter mandado sair a todos,
levando consigo apenas o pai da menina
e os que vinham com Ele,
entrou no local onde jazia a menina,
pegou-lhe na mão e disse:
«Talita Kum»,
que significa: «Menina, Eu te ordeno: Levanta-te.»
Ela ergueu-se imediatamente e começou a andar,
pois já tinha doze anos.
Ficaram todos muito maravilhados.
Jesus recomendou-lhes insistentemente
que ninguém soubesse do caso
e mandou dar de comer à menina.

Palavra da salvação

 

  • Comentário do nosso Pároco, Pe. José Diz
    A vida é dom de Deus. Tudo o que vive se parece com Ele, porque Deus é Vida. O mal e a morte são fruto do pecado. Se Deus consente o mal, é porque sabe e pode tirar dele o maior bem. De outra maneira seria incompreensível. “Crê somente”. O importante é crer. Pela fé, o homem entra na sua dimensão total, onde os caminhos se encontram e as respostas se aclaram. A fé é o fundamento e o começo da vida eterna. Acreditando, somos introduzidos na vida definitiva, que nos leva à plenitude da existência humana. Fé é a vida nova, que Cristo nos veio trazer, Fé é o remédio salvífico, que cura os doentes e ressuscita os mortos. “A tua filha morreu.” Parecia estar tudo perdido. Mas não. A fé é uma longa noite de esperas, morte de razões e de sentidos. “Pegou na mão”. Fé é tocar e ser tocado. Pela fé Deus vive oculto em nós. Deus toca-nos pela fé e tudo revive. “Levanta-te!”  O mundo não acredita. “Riam-se d’Ele”, e riem-se de mim. Que admira? O que importa é sorrir sempre.
  • Comentário do Papa Francisco
Artigo anterior“Todos são admitidos”
Próximo artigoTestemunhar Jesus

1 COMENTÁRIO

  1. É bom sentir a Palavra de Deus e o testemunho da FÉ entrar pela nossa casa dentro, sentar se no nosso coração e louvar -nos o Senhor da Vida, agradecendo -lhe a saúde e alegria de Viver nele. Bom Domingo irmãos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

MAIS RECENTES

XVIII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede (Jo 6,24-35) Naquele...

Saciar a fome de infinito

«Para Jesus não é suficiente que as pessoas o procurem, Ele quer que elas o conheçam» Nestes últimos domingos, a liturgia mostrou-nos a imagem cheia...

XVII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Distribuiu-os e comeram quanto quiseram (Jo 6,1-15) Naquele tempo, Jesus partiu para o outro lado do mar da Galileia, ou...

Para que nada se perca!

«O Evangelho convida-nos a permanecer disponíveis e laboriosos, como aquele jovem que se dá conta de que tem cinco pães, e diz: “Ofereço isto,...

ARQUIVO

ARQUIVO (ÚLTIMOS NÚMEROS)