Sexta-feira, 24 Setembro, 2021
Inicio Boletim Liturgia XVII Domingo do Tempo Comum

XVII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Distribuiu-os e comeram quanto quiseram
(Jo 6,1-15)

Naquele tempo,
Jesus partiu para o outro lado do mar da Galileia,
ou de Tiberíades.
Seguia-O numerosa multidão,
por ver os milagres que Ele realizava nos doentes.
Jesus subiu a um monte
e sentou-Se aí com os seus discípulos.
Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.
Erguendo os olhos
e vendo que uma grande multidão vinha ao seu encontro,
Jesus disse a Filipe:
«Onde havemos de comprar pão para lhes dar de comer?»
Dizia isto para o experimentar,
pois Ele bem sabia o que ia fazer.
Respondeu-Lhe Filipe:
«Duzentos denários de pão não chegam
para dar um bocadinho a cada um.»
Disse-Lhe um dos discípulos, André, irmão de Simão Pedro:
«Está aqui um rapazito
que tem cinco pães de cevada e dois peixes.
Mas que é isso para tanta gente?».
Jesus respondeu: «Mandai-os sentar.»
Havia muita erva naquele lugar,
e os homens sentaram-se em número de uns cinco mil.
Então, Jesus tomou os pães, deu graças
e distribuiu-os aos que estavam sentados,
fazendo o mesmo com os peixes;
e comeram quanto quiseram.

Quando ficaram saciados,
Jesus disse aos discípulos:
«Recolhei os bocados que sobraram,
para que nada se perca.»
Recolheram-nos e encheram doze cestos
com os bocados dos cinco pães de cevada
que sobraram aos que tinham comido.
Quando viram o milagre que Jesus fizera,
aqueles homens começaram a dizer:
«Este é, na verdade, o Profeta
que estava para vir ao mundo».
Mas Jesus, sabendo que viriam buscá-l’O para O fazerem rei,
retirou-Se novamente, sozinho, para o monte.

Palavra da salvação

 

  • Comentário do nosso Pároco, Pe. José Diz
    Pão para matar a fome é verdade que todos entendem e comem até fartar. “Mandai-os sentar”. Há fome da alma e fome do corpo e ambas veio o Senhor saciar. O homem tem fome de Deus e do sobrenatural, e agora só Deus pode saciar as exigências que deixou em nós. É preciso ir ao deserto aprender a coragem de esperar e a sabedoria de depender. Se Deus nos quer de mãos vazias, é porque só Ele nos enche. “Cinco pães de cevada e dois pequenos peixes”. É pouco. Mas Jesus quis precisar deste pouco para fazer o milagre. Podia ter feito tudo sozinho, mas pediu colaboração. “Vinham buscá-Lo para O fazerem rei”. Mas Ele retirou-se. Se cura os corpos é para mover os corações e perdoar pecados. Não aceita realezas nem coroas, mas vem dá-las a quem o quiser seguir. “Jesus tomou os pães e repartiu-os”. Começa Cristo a dar-se em Pão para alimento da nossa fome. A Eucaristia é manjar de caminhantes. Nela se saboreia o manjar pascal daqueles que passam da morte à vida.
  • Comentário do Papa Francisco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

MAIS RECENTES

XVIII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede (Jo 6,24-35) Naquele...

Saciar a fome de infinito

«Para Jesus não é suficiente que as pessoas o procurem, Ele quer que elas o conheçam» Nestes últimos domingos, a liturgia mostrou-nos a imagem cheia...

XVII Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João Distribuiu-os e comeram quanto quiseram (Jo 6,1-15) Naquele tempo, Jesus partiu para o outro lado do mar da Galileia, ou...

Para que nada se perca!

«O Evangelho convida-nos a permanecer disponíveis e laboriosos, como aquele jovem que se dá conta de que tem cinco pães, e diz: “Ofereço isto,...

ARQUIVO

ARQUIVO (ÚLTIMOS NÚMEROS)